Hackers ameaçam Apple dizendo que podem apagar milhões de iPhones

Um grupo de hackers que se auto-denomina “Turkish Crime Family” (Família Turca do Crime) afirma ter conseguido o acesso a milhões de contas de usuários do iPhone e do iCloud, sendo capazes de apagar completamente os dispositivos atrelados a elas. Eles exigem da Apple um “resgate” no valor de US$ 75.000 em Bitcoin ou Ethereum (criptomoedas) ou de US$ 100.000 em cartões de presente do iTunes.

Quem conseguiu as informações foi a Motherboard, que afirma ter recebido imagens dos e-mails trocados entre a Apple e os hackers. A empresa teria pedido aos cibercriminosos alguma prova de suas ações e eles, então, subiram um vídeo no YouTube em que aparecem acessando a conta de uma senhora. Na conta estariam imagens feitas como backup na nuvem e a possibilidade de apagar seu dispositivo remotamente habilitada. A Apple teria dado a seguinte resposta para a prova e para a ameaça:

Nós primeiro pedimos que vocês removam o vídeo que vocês colocaram em seu canal do YouTube, uma vez que ele está procurando uma atenção não desejada. Em segundo lugar, gostaríamos que soubessem que nós não recompensamos cibercriminosos por infringirem as leis.

Os hacker se contradizem no número de contas que teriam sido efetivamente invadidas. Dado momento eles disseram à Motherboard que foram 300 milhões, mas em outro instante eles disseram que foram 559 milhões. Não é descartada a possibilidade que eles tenham, na verdade, invadido apenas um tanto mínimo de dispositivos e estão inflando os números para blefar contra a empresa.

A Apple ainda não comentou sobre o assunto publicamente e não respondeu ao pedido de contato pela Motherboard.

Via: Neowin | Fonte: Motherboard

Confira as vantagens do upgrade de RAM e/ou SSD podem trazer para o seu Mac

Normalmente, quando o computador está lento, a primeira coisa que nos vem à cabeça é um upgrade de memória (RAM). Mas qual a diferença entre um upgrade de memória RAM e um upgrade de SSD?

RAM

No computador, a RAM (random access memory, ou memória de acesso aleatório) funciona para trocas rápidas de algoritmos a serem processadas em sua CPU. Oi?! Bem, basicamente a memória funciona como uma ponte entre o HDD e o processador, onde toda informação que precisa ser codificada ou descodificada é enviada através dessa ponte. Ela é extremamente necessária pois a velocidade de troca de informações entre o processador e a memória é imensamente superior a seu drive de armazenamento. Desta forma, a memória consegue transferir as informações para o processador na velocidade necessária e devolver ao HDD na medida em que estiverem prontas.

Afinal, o upgrade de memória gera algum ganho de desempenho?

Em geral, upgrade de memória só gera ganho de desempenho se você utiliza vários aplicativos simultaneamente ou se utiliza softwares de alto poder de processamento (como editores de imagem, compiladores de aplicativos ou games, por exemplo). Nesse caso, o aumento de memória gera um grande ganho de desempenho devido ao fluxo contínuo entre HDD, memória e processador. Em uma analogia, seria como o horário de pico das cidades grandes. Todos tem um destino a seguir, porém a quantidade de carros superior à via gera trânsito e acaba atrasando todo mundo. Um upgrade de memória em uma cidade grande seria como colocar mais vias para todos caminharem sem congestionamento — e sim, grandes centros do Brasil precisam urgentemente de um upgrade de memória!

Upgrade de SSD ou RAM?

O SSD (solid-state drive, ou unidade de estado sólido) é uma evolução do HDD (hard disk drive, ou disco rígido) que utiliza chips ao invés de discos para armazenar conteúdos, gerando um imenso ganho de velocidade. O ganho de desempenho em um upgrade de SSD é facilmente perceptível na velocidade de acesso aos seus arquivos.

Para mensurar a quantidade de ganho, fizemos alguns testes. Confira abaixo:

Tempo de boot

14-teste-boot

Velocidade do render

14-teste-render

Resultado geral

14-testes

Consideramos nos testes o tempo de boot do computador (o tempo que ele demora para ligar), tempo de renderização (codificação) de um vídeo Full HD (1080p) com quatro efeitos sobrepostos, além de dados do aplicativo NovaBench para velocidade.

Afinal, RAM ou SSD?

É possível perceber que cada upgrade trabalha de uma maneira diferente no seu computador. Se você utiliza o computador para edição de textos e navegação na web, o upgrade de SSD irá quadruplicar a velocidade do seu Mac. Agora se você é um usuário high-end e utiliza vários aplicativos ou apps com alto poder de processamento, o upgrade de RAM lhe atenderá melhor — é claro que a combinação dos dois gera um ganho de desempenho sem igual!

Fonte: MM

12 coisas que você não sabia que o seu fone de ouvido da Apple pode fazer

Se você achava que os fones de ouvido da Apple somente serviam para ouvir música está enganado.

Assim como os smartphones, os fones de ouvido da Apple contam com alguns segredinhos para otimizar e facilitar o uso do dispositivo.

Todos esses “segredinhos” giram em torno do controle de volume que fica do lado direito do acessório. O que muitos não sabem, é que ele é mais do que um controle de volume, tamém possui microfone para chamadas de voz e controle de voz, e ainda é possível controlar algumas funções do smartphone.

Confira algumas combinações de cliques para aumentar as funcionalidade do fone de ouvido:

Música

1 – Um clique: pausa música;

2 – Dois cliques rápidos: pula para a próxima música;

3 – Três cliques rápidos: volta para o ínicio da música ou volta para a música anterior;

4 – Dois cliques rápidos e manter pressionado: avança um trecho da música;

5 – Dois cliques rápidos e manter pressionado: retrocede a música.

 

Ligações

6 – Um clique: atende ou desliga chamadas;

7 – Manter pressionado por dois segundos: ignora ligações;

8 – Um clique (ligação espera): caso esteja em uma ligação, e receber outra, clique uma vez no centro do controle para colocar a primeira em espera. Caso queira voltar, basta clicar mais uma vez;

9 – Mantenha pressionado (ligação em espera): caso esteja em uma ligação, e receber outra, basta manter pressionado por dois segundo para ignorar a nova ligação.

 

Siri

10 – Manter pressionado: Aciona o comando de voz.

 

Fotos

11 – Um clique: Aciona a câmera fotográfica.

 

Volume

12 – Um clique: o usuário consegue controlar o volume do áudio clicando em (+) para aumentar ou (-) para reduzir o volume.

Como ativar chamadas de voz WhatsApp no ​​iPhone (Jailbreak)

whatsapp-voip

 

É possível fazer chamadas de voz com o WhatsApp no iPhone desde que você tenha feito o jailbreak, usando um Cydia ajustar para a operação, se necessário. Nós te ensinaremos como ativar as chamadas de voz em algumas etapas simples.

WhatsApp e chamadas de voz

A aplicação mais utilizada mensagens instantâneas, com mais de 700 milhões de usuários registrados, não tem essa funcionalidade, mas está lentamente chegando. No final de janeiro WhatsApp Web veio para usar o aplicativo a partir de um navegador em um computador e, gradualmente, estão chegando as chamadas de voz, mas sequencialmente e apenas um grupo seleto.

Enquanto a concorrência já tem a voz chamas por algum tempo agora, como a linha, o aplicativo WhatsApp vimos que após vários adiamentos, esse ano escolhido para lançar este novo recurso.

Como ativar chamada de voz WhatsApp no ​​iPhone com Jailbreak

Vamos explicar como ativar as chamadas de voz WhatsApp em poucos passos simples e sempre que você tiver feito o jailbreak no seu iPhone.

whatsapp-chamada-voz-iphone

 

1. Você precisa fazer o download e instalar a versão beta do WhatsApp daqui em seu iPhone.

2. Adicione o seguinte repositório para sua lista de Cydia: http: // apt. imokhles .com

3. Instale WhatsApp ajustar Chamada Enabler e ativá-lo a partir de suas configurações, uma vez instalados.

4. Digite o WhatsApp e envia uma mensagem para um amigo que tenha ativado a chamada, para que ele possa ligar e ativar as chamadas em seu iPhone.

5. O contato que você enviou a mensagem irá retornar a ligação e, assim, receber chamadas ativadas.

Como você vê, é muito fácil para ativar as chamadas de voz, você apenas tem que ser paciente para que o usuário envie a mensagem de que você chama e, assim, activar as suas chamadas WhatsApp.

Pode ser necessário instalar o beta AppSync WhatsApp. Você pode baixar AppSync do Cydia repositório: http: // cydia .angelxwind. líquido

Os usuários do iPhone podem agora usar WhatsApp Web com a mais recente versão Beta

Até agora, apenas os proprietários de smartphones Android foram capazes de, pelo menos oficialmente, usar a ferramenta WhatsApp Web, uma forma de interagir com o WhatsApp e escrever mensagens a partir do navegador do PC. No entanto, o utilitário já está disponível para iPhone, após os desenvolvedores de aplicativos não conseguirem superar as limitações impostas pela Apple. E o mais recente beta chega com o WhatsApp notícias Web para iPhone.

Com a pressão da concorrência como uma constante, WhatsApp introduziu pela primeira vez na história uma ferramenta chamada WhatsApp Web . Como o próprio nome sugere, era uma plataforma que permitiu utilizar o serviço de mensagens instantâneas a partir de um PC, inicialmente através do navegador Google Chrome e mais tarde também com o Firefox e Opera. Agora, depois de meses de espera, assim iPhone usuários também podem começar a usar o Web WhatsApp oficialmente.

WhatsApp-Web-iPhone

Disponível, mas por enquanto apenas em beta

Segundo a ADSLZone , tudo tem sido possível graças à publicação da última versão Beta do aplicativo, identificado pela referência 2.11.17.444. Aparentemente, os desenvolvedores por trás do projeto não conseguiram superar as limitações impostas pela Apple ao utilizar aplicações de fundo. No entanto, a assinatura do App Store ainda abriga o aplicativo com tal funcionalidade e ninguém sabe exatamente quando isso vai acontecer, quando a própria funcionalidade estará disponível para todos.

Como acessar Web WhatsApp para iPhone?

Como é o caso com o aplicativo para Android, a opção Web WhatsApp na seção Configurações do aplicativo aparece agora. Embora a interface do serviço Web varia em relação à versão do Android, a funcionalidade é exatamente o mesmo. O usuário pode interagir com o serviço de mensagens instantâneas do computador e conforto de um teclado físico. Com o estabelecimento do WhatsApp para oficial do aplicativo iPhone Web e termina recorrer a instrumentos alternativos necessários para executar o Jailbreak. No caso cito a opção de ajustar WhatsApp Web Enabler, disponível em repositórios Cydia.

Esperando serviço de chamada

Embora a equipe por trás do projeto WhatsApp tem estado particularmente ativa nos últimos meses, especialmente na plataforma Android, a versão iPhone ainda está atrasada. Opção WhatsApp Web dá um sopro de ar fresco iOS seguidores, mas ainda não recebem as tão esperadas chamadas VoIP. Lembramos que as chamadas de voz veio pouco mais de uma semana para Android, mas nada se sabe sobre como e quando a empresa planeja fazer os usuários Apple entrarem na lista.

Apple será capaz de localizar celular mesmo desligado

A Apple registrou uma nova patente que permite localizar telefones celulares mesmo quando eles estão desligados. A ideia é dar maior segurança aos donos de iPhones e demais aparelhos sem fio da empresa em caso de perda ou furto dos equipamentos. Mas ao mesmo tempo cria mais uma possibilidade de exploração da privacidade.
O registro, apresentado em meados do ano passado e confirmado há menos de um mês pelo escritório de marcas e patentes dos Estados Unidos, descreve a tecnologia como “um equipamento sem fio processador de dados” que, caso desligado, periodicamente liga o aparelho e transmite sua localização.
O documento também descreve que quando o aparelho for desligado, haverá um pedido de senha. Caso não seja a senha correta, o aparelho entra em um estado que aparenta estar desligado, mas ainda vai enviar localização, acessar a Internet e até mesmo mandar mensagens. Também permite acionar a câmera de forma a fotografar um eventual ladrão.

Fonte: Convergência Digital

Apple admite falha e inicia recall de Macbooks Pro

RIO — Após negar por longo tempo e até mesmo vencer uma batalha nos tribunais, a Apple, enfim, admitiu que alguns Macbooks Pro possuem um defeito de fabricação. Na quinta-feira, a companhia anunciou um programa de recall de computadores vendidos entre fevereiro de 2011 e dezembro de 2013.

Em comunicado, a Apple afirma que “identificou que uma pequena porcentagem de sistemas MacBook Pro pode apresentar distorção, ausência de vídeo ou reinicializações inesperadas”. O reparo será feito gratuitamente a partir do dia 27 de fevereiro.

Para saber se um equipamento precisa de reparo, o consumidor deve acessar o site de suporte da companhia para determinar se o computador é um dos afetados. O problema foi detectado nos seguintes modelos: MacBook Pro (15 polegadas, início de 2011), MacBook Pro (15 polegadas, final de 2011), MacBook Pro (Retina, 15 polegadas, meados de 2012), MacBook Pro (17 polegadas, início de 2011), MacBook Pro (17 polegadas, final de 2011), MacBook Pro (Retina, 15 polegadas, início de 2013).

Os consumidores devem efetuar o reparo apenas se as máquinas apresentarem vídeos distorcidos ou embaralhados, ausência de vídeo na tela mesmo com o computador ligado ou reinicializações inesperadas.

O problema é um velho conhecido dos clientes afetados, tanto que no ano passado, consumidores se reuniram em uma ação coletiva contra a companhia, mas a Apple conseguiu vencê-los no tribunal. No site de petições Change.org, um abaixo-assinado exigindo o reparo tem quase 40 mil assinaturas.

Como o problema é antigo, a Apple informa que está entrando em contato com clientes que pagaram por esse reparo por meio da companhia ou em um Centro de Serviço Autorizado para o reembolso.

Por O Globo

Saiba mais sobre o mundo 64-bit; é o futuro

Ultimamente, o "64-Bit" está em alta. Anda mais falado hoje em dia do que na época do Nintendo 64. Se você nunca ouviu falar nisso, preste atenção. Um dos avanços mais importantes em termos de poder computacional está acontecendo debaixo do seu nariz – mas muita gente não tem a mínima idéia – graças aos velados esforços da Apple e da Microsoft.

Apesar de sistemas operacionais totalmente 64-bit ainda não serem realidade, você pode provar um pouco da sua capacidade com as versões 64-bit do Windows e do OS X. Aqui estão alguns exemplos das maravilhas que mostram como o 64-bit faz um mundo melhor.

Em uma palavra, memória. Não vamos falar nerdês aqui e entrar em superdetalhes (para isso, é só dar um pulo no Wikipedia, pelo atalho http://tinyurl.com/559ag6). Para manter tudo bem simples, essa parada de bit (16-bit, 32-bit, 64-bit) diz respeito a quantos dados o computador consegue ler, ou falar, ao mesmo tempo. É isso que determina o quanto de memória ele pode gerenciar.

O processador com 32-bit de endereçamento de memória pode basicamente segurar as pontas de 4GB de RAM. Por outro lado, o sistema de 64-bit tem capacidade para lidar com 16 exabytes de RAM. Isso é o absurdo de 16.8 terabytes. De RAM. É. Você não vai ter essa quantidade de memória no seu computador, pelo menos por um bom tempo; ou seja, nos próximos anos, isso significa que não há mais limite para expansão de memória.

Enquanto hardwares e softwares de 32-bits – o padrão na terra dos PCs – te limitam a 4GB de RAM (Extensão Física de Endereçamento – saiba mais pelo atalho http://tinyurl.com/5stue9 – pode até deixar você ter mais, mas os softwares vão apenas usar 4GB), com hardware e software de 64-bit você pode usar quantidades quase infinitas de RAM, o que vai permitir um mundo de novas possibilidades, já que espaço de memória para trabalhar não vai faltar.

O caminho para o mundo 64-bit se une à corrida dos processadores multi-core, usando placas de vídeo para processamento e o crescimento do processamento paralelo no mundo dos computadores para mortais como nós. Em pouco tempo, as aplicações conseguirão ter um crescimento exponencial em capacidade sobre o que elas podem usar hoje – uma cacetada de processadores trabalhando junto com um sem-número de memória à sua disposição. Com 64-bit, os computadores poderão processar uma pá de números muito mais rápido, o que é excelente para essas coisas científicas e tal. Prepare-se para coisas maneiras que virão por aí.

Você deve estar se perguntando: "Por que não AGORA? Eu já escutei sobre esse tal 64-bit faz tempo!!! OMG!" Bem, o hardware está por aí já há algum tempo – supercomputadores 64-bit são realidade há algumas décadas e a AMD trouxe para nós mortais há alguns anos o Athlon 64, por exemplo. Os Macs já eram 64-bit na época dos PowerPC G5. E se você comprar hoje um Core 2 Duo da Intel, também é 64-bit. Acontece que os sistemas operacionais dos usuários comuns (eu, você, o mala do seu vizinho) ultimamente estão lentos demais para adotar o 64-bit e não vão cair de cabeça nessa realidade nova, pelo menos por outra rodada de versões, como o guru do Windows Ed Bott nos contou (em inglês, no atalho http://tinyurl.com/2wal6a).

O Windows Vista foi lançado em duas versões separadas, uma de 32-bit e outra de 64-bit, sendo que a versão 64-bit do Vista foi o primeiro Windows para o consumidor final 64-bit. A Apple não está atrás e caminha para uma arquitetura 64-bit a cada nova versão. Bolt nos contou que enquanto o Windows 7 vai ter versões 32-bit e 64-bit, seu sucessor, o Windows 8 (ou qualquer nome que ele receba) provavelmente será o primeiro sistema operacional da Microsoft a ser exclusivamente 64-bit. Já foi anunciado pela Apple que no ano que vem a versão nova do Mac OS X (A Snow Leopard) será 64-bit até o coração, quer dizer, kernel.

A razão pela qual o 64-bit é o futuro, e não o presente, se deve ao fato de ser uma arquitetura totalmente diferente do 32-bit já estabelecido – kernel diferente significa drivers diferentes, problemas de compatibilidade com as aplicações e por aí vai. Uma migração total e rápida significa muita dor de cabeça, principalmente para o mundo corporativo.

Como Bott nos contou, ele é tão relevante para a Microsoft quanto o usuário final. Por isso, a Apple está migrando para o OS X 64-bit ao longo do tempo, e por isso a Microsoft vai continuar a lançar versão 32-bit do Windows 7. Provavelmente ainda, segundo Bott, um Windows 8 64-bit permitiria um setup virtual para rodar aplicações 32-bit. "Por sorte", ele nos conta, "um sistema x64 com um caminhão de memória vai rir de uma virtualização."

Outra carona no caminho para a glória do 64-bit que Bott levantou foi a questão de "Quando será que o pessoal fora do grupo de softwares para trabalhos específicos" como Adobe (Photoshop CS4 será uma aplicação 64-bit nativa para Windows, mas não para OS X) vai começar a programar aplicações 64-bit? Com a onda de processamento paralelo com vários-core para chegar a quantidade ridícula de memória para se aproveitar, programadores terão bastante espaço para brincar (e lidar).

Aplicações terão que ser re-escritas para aproveitar todo o potencial da multiplicidade de núcleos (core) e a enorme quantidade de memória à disposição, e essa transição levará um tempo. Outro pequeno detalhe que 64-bit fica devendo – e realmente é pequeno: o tempo de retorno de do estado de hibernação será maior, já que toda essa memória significa mais gravação no arquivo de hibernação, logo, mais tempo para ler quando for hora de acordar.

Enquanto toda essa maravilha soa boa demais para ser verdade ou até mesmo realidade em um futuro próximo, na verdade não é. O sistema da Apple Leopard já faz um pouco do vudu 64-bit, como por exemplo ter uma interface gráfica 64-bit e a versão 64-bit do Vista está superando sua versão 32-bit nos sistemas dos fabricantes de computadores, já que agora o problema dos drivers não é algo tão absurdo.

Enquanto 4 GB de RAM for uma belezura em uma máquina com Vista, 6 GB e 12 GB irão se tornar padrões para máquinas de alta performance com o lançamento do Intel Core i7, desde que se use o canal tripo de memória – três deliciosos pentes de memória RAM – então está mais do que na hora do 64-bit chegar.

Gizmodo