Orkut lança sistema de bate-papo instantâneo

O Orkut começou a implementar nesta semana o serviço de bate-papo instantâneo por meio da rede social. De acordo com o Google, dono do Orkut, o bate-papo será adicionado aos poucos no perfil dos internautas, até chegar a todos os usuários da rede social. A expectativa é que o processo seja completado nas próximas duas semanas.

O serviço é bastante similar ao Gtalk, utilizado no Gmail –a base da plataforma utilizada nos sistemas é a mesma. O Facebook já oferece um sistema parecido de conversa instantânea.

Fonte: Geek

Filial brasileira do Google vai assumir controle mundial do Orkut

Do G1, em São Paulo

Foto: Reprodução

Reprodução

Brasil concentra o maior número de usuários do Orkut. (Foto: Reprodução )

 

O processo já teve início e, no período de dois meses, o Google deve concluir a transferência do controle mundial do Orkut para a filial brasileira. Na prática, nada mudará para os internautas cadastrados no site de relacionamentos. Mas a empresa vê como vantajoso o fato de a rede social ser comandada diretamente no país onde o serviço tem o índice mais alto de adesão: dos 60 milhões de usuários, 54% dizem ser brasileiros.
Segundo Félix Ximenes, diretor de comunicação do Google Brasil, essa transferência é resultado da popularidade local do serviço e também da maturidade do time no país. A parte de engenharia continuará sendo dividida com a filial indiana, mas o controle geral do produto será exclusivo dos funcionários do Google local. Por aqui, a companhia tem dois escritórios: um em São Paulo e um em Belo Horizonte, onde funciona o centro de engenharia.
Essa não é a primeira vez que a empresa baseada nos Estados Unidos transfere para outro país o controle de um produto. Ximenes exemplifica, dizendo que o gerenciamento da ferramenta de mapas é dividido entre Austrália e Alemanha.
Outra mudança anunciada pela empresa é o fato de Alexandre Hohagen, diretor-presidente do Google Brasil, ter sido apontado como próximo diretor da América Latina. Com isso, a filial brasileira terá de encontrar um substituto para o executivo, que assumiu o controle das operações no país quando a empresa abriu seu escritório em São Paulo, em 2005. Hohagen passará a responder pelas filiais do Brasil, Argentina, México, Chile e Colômbia.

Denúncias

Em julho, Hohagen assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a empresa e o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP). Por meio do termo, a empresa se comprometeu a adotar várias práticas contra a pedofilia no site de relacionamento Orkut.
A parceria visa colocar fim a uma batalha entre Justiça brasileira e Google, que já durava alguns anos. A empresa era acusada de se recusar a fornecer informações sobre usuários da rede social, dificultando assim as investigações relacionadas ao crime de pedofilia.

Além de adotar um filtro de imagens, que segundo a companhia reduz as imagens de pedofilia em 70%, a empresa alterou o prazo de armazenamento dos registros de acesso dos usuários brasileiros (de 30 dias para seis meses) e implementou uma solução para melhorar o processo de entrega de evidências de supostos crimes às autoridades.

 

Fonte: G1

Google lança enciclopédia virtual para competir com Wikipedia

SÃO PAULO – O Google, site de buscas mais utilizado da internet, vai lançar o Knol, uma enciclopédia eletrônica, de acordo com o site do jornal El País. O projeto, que está em fase de depuração – apuração de erros -, competirá com a Wikipedia pela atenção e a curiosidade insaciável dos internautas. Já há várias centenas de knols.

Enquanto a Wikipedia oferece uma única página para cada conceito, as entradas do Knol consistem em uma variedade de artigos sobre um mesmo tema. Não se trata da versão neutra e oficial da Wikipedia, mas de publicar a opinião de indivíduos que, em muitos casos, serão especialistas no tema em questão. São artigos que serão assinados.

O Google acaba assim com uma das marcas da Wikipedia: primar pelo anonimato das massas ao invés do ego do indivíduo. De acordo com a companhia, que apresentou a iniciativa ao público na semana passada, é uma forma de “dar reconhecimento aos autores” e lhes proporcionar um instrumento para “compartilhar seu conhecimento e interagir com a comunidade”. Outra diferença é que os leitores não podem editar ou complementar as entradas sem a permissão de seu autor.

Mas a grande novidade da nova ferramenta é que os autores dos artigos poderão inserir publicidade em suas entradas através do sistema Adsense. Adeus à mão-de-obra grátis e voluntária que fez a Wiki triunfar. O Google oferecerá aos autores “uma parte substancial” dos lucros que obtiver.

É claro, porém, que serão anúncios geridos pelo Google, que obtém mais de 90% de seus rendimentos através da publicidade. Algo que pode fazer com que o Knol tenha muitas entradas sobre as palavras ou conceitos que vendem, com publicidade cara, que sobre outros temas menos lucrativos.

Estadao