Smartphone é o 1º equipado com chip Atom da Intel

A fabricante japonesa de celulares Willcom anunciou hoje, 14, o lançamento do smartphone D4, o primeiro equipado com o processador Atom da Intel. O D4 tem como destaques o HD de 40 GB e a tela LCD de cinco polegadas. O novo aparelho pesa 470g.

O telefone utiliza o sistema operacional Windows Vista e conta ainda com tecnologia Bluetooth. Os novos celulares devem chegar ao mercado em junho por preço sugerido de 128,6 mil ienes (US$ 1,27 mil, equivalente a pouco mais de R$ 2,14 mil).

Fonte: AFP

Motorola faz parceria com DirecTV

A Motorola anunciou nesta segunda-feira, 14, que está em negociações com a DirecTV para transmitir o sinal da TV digital fechada via satélite para os assinantes e usuários da fabricante. Os testes do serviço serão feitos inicialmente em sete localidades nos Estados Unidos.

Por nota, as duas companhias não informaram se o serviço se estenderá à América Latina, mas a DirecTV, que se fundiu à SKY, é líder no mercado de TV por assinatura digital no Brasil e em toda a América Latina.

As duas companhias escolheram o MPEG4 para comprimir e transmitir o sinal. A DirecTV irá processar e transmitir o sinal da TV por meio dessa tecnologia, que promete gravar dados com uma resolução de alta qualidade e ainda fazer transmissão pela Internet. No Brasil, a DirecTV e a SKY tem aproximadamente de 1,6 milhão de assinantes. A SKY transmite todos os seus canais e serviços no sistema digital.

Fonte: UOL Tecnologia

TIM descarta fusão com Telefónica

ROZZANO – A Telecom Italia/TIM descartou, em reunião, unir suas operações às do grupo Telefónica.

A afirmação é de executivos a acionistas em reunião anual da empresa realizada nesta segunda-feira.

A companhia espanhola possui participação indireta de 10 por cento na Telecom Italia. A família Fossati, que detém 4,45 por cento do maior grupo de telecomunicações da Itália, incentivou na semana passada uma fusão completa com a Telefónica.

“Não há planos de fusão com a Telefónica”, afirmou o presidente do conselho da Telecom Italia, Gabriele Galateri.

A família Fossati também pediu que o presidente-executivo Franco Bernabe revisasse seu plano tido como conservador.

A Telecom Itália possui liquidez e crédito para administrar seu débito, que até o fim do ano passado totalizava 37,5 bilhões de euros (59,3 bilhões de dólares), disse Bernabe aos acionistas.

O grupo possui 6,8 bilhões de euros em caixa e uma linha de crédito “não usada e irrevogável” de 6,5 bilhões de euros válida até 2014, afirmou Bernabe. Ele acrescentou que a liquidez do grupo não sofreu com a crise de crédito dos últimos meses.
Felipe Zmoginski, do Plantão INFO

Yahoo! vai exibir anúncios do Google

SÃO PAULO – Yahoo! vai testar plataforma que exibe anúncios captados pelo Google em seus resultados de busca.

O Yahoo! decidiu testar, por duas semanas, um novo recurso que permite ao seu maior rival, o Google, exibir anúncios dentro de seu sistema de buscas.

A idéia será implementada apenas em 3% das buscas feitas no Yahoo! dentro dos Estados Unidos.

A plataforma é um teste para avaliar como o Yahoo! pode exibir anúncios captados por seu rival em situações específicas.

Por exemplo, se um usuário faz uma busca sobre um tema onde o Yahoo! não possui os melhores links patrocinados para exibir, ele poderá colocar alguns links de empresas que anunciaram no Google. As duas companhias compartilhariam a receita por esta publicidade.

A decisão foi interpretada no mercado de ações como uma manobra ousada do Yahoo! para encontrar alternativas que lhe permitam fugir da fusão com a Microsoft.

Steve Ballmer, CEO da Microsoft, deu três semanas para encerrar as negociações com o Yahoo!. A fabricante do Windows oferece US$ 44,6 bilhões pelo buscador.

Logo após o Yahoo! comunicar os testes em parceria com o Google, a Microsoft divulgou uma nota de protesto.

Segundo texto assinando pelo conselheiro geral da Microsoft, Brad Smith, uma parceria entre Yahoo! e Google é totalmente “anticompetitiva”.

O principal argumento é que, juntos, os buscadores concentram 90% de toda publicidade em buscas nos Estados Unidos.
Felipe Zmoginski, do Plantão INFO

Oracle vai corrigir 41 brechas de segurança

SÃO PAULO – A Oracle anunciou para o próxima terça, 15/4, a correção de 41 vulnerabilidades que afetam muitos de seus produtos.

Essas correções fazem parte do pacote que a empresa publica trimestralmente. Das 41 falhas, 17 referem-se ao banco de dados Oracle, o principal produto da empresa. E duas delas podem ser exploradas numa rede, sem a necessidade de senha e nome de usuário.

Além do Oracle Database, nas versões 9i, 10g e 11g, também são afetados os produtos Oracle Application Server, Oracle Collaboration Suite, Oracle E-Business Suite, Oracle PeopleSoft Enterprise PeopleTools, Oracle PeopleSoft Enterprise HCM e Oracle Siebel SimBuilder.

O alerta da Oracle com a descrição do pacote está no site da empresa.

Carlos Machado, da INFO

Celulares passam a controlar Jukeboxes e interagir em redes

Estadão

– O controle de músicas em Jukebox – caixas de som em espaços públicos – poderá ser feito de modo compartilhado pelo celular caso os testes feitos por duas empresas que ditam tendências tecnológicas derem certo.

A LocaModa, empresa focada em negócios para plataforma sociais, e o TouchTunes, “banco de dados” de músicas para Jukebox, lançaram a idéia de fazer com que qualquer pessoa que tenha um celular em mãos posso controlar o que é tocado em aparelhos controlados pela TouchTones.

As ferramentas disponíveis seriam informações sobre a música tocada no momento, conteúdo gerado por usuários das redes sociais e até mesmo a visualização de fotos disponíveis nos perfis pessoais dos usuários.

Os entusiastas da idéia poderão saber pela internet o que está passando nas telas em cada uma das Jukebox interligadas ao sistema, quem são as pessoas que estão no local e até mesmo presentear amigos com músicas.

Apple anuncia lançamento do Final Cut Server

O Globo

RIO – A Apple anunciou o lançamento do Final Cut Server, solução de software para o gerenciamento de mídia e automação de fluxo de trabalho (workflow). O aplicativo cataloga automaticamente grandes coleções de mídia, permitindo assim pesquisar em diferentes discos e volumes SAN e também ver o conteúdo, fazer anotações e aprovar qualquer conteúdo de qualquer lugar usando um PC ou Macintosh.

O Final Cut Server cataloga mídia automaticamente e gera thumbnails, quadros de pôster e clipes de proxy em baixa resolução para navegação rápida no formato especificado pelo usuário. Um cliente cross platform permite a um PC ou Mac usar o Final Cut Server em várias formas de pesquisa, que se entendem de simples palavras-chave até combinações complexas de metadados IPTC, XMP e XML. O Final Cut Server também pode configurar um controle amplo de acesso que define permissões de usuário sobre um documento de mídia ou tendo como base um projeto.

O produto já está disponível através dos revendedores autorizados Apple pelo preço sugerido de R$ 1.799 para um servidor com licença para dez clientes, e R$ 3.599 para servidor com licença para um número ilimitado de clientes. Requerimentos do sistema e mais informações podem ser encontrados no site www.apple.com/finalcutserver .

TV pelo celular avança em ritmo lento, diz Nokia

Reuters

HELSINQUE – A Nokia, maior fabricante mundial de celulares, afirmou que seu esforço para promover a transmissão de televisão em celulares não avançou da forma como a empresa esperava. A companhia vem há anos promovendo a transmissão de programas de TV em aparelhos móveis e sua tecnologia de transmissão de vídeo para dispositivos portáteis obteve apoio da União Européia este ano, mas apenas algumas operadoras na Europa iniciaram algum tipo de serviço de transmissão de TV.

“Está um pouco turbulento”, afirmou Niklas Savander, chefe dos serviços de Internet da Nokia, em conferência em Helsinque. A maior parte das pessoas que vê programas de TV no celular usam redes de terceira geração (3G), pagando taxas de transmissão de dados às operadoras, mas isso limita a qualidade da imagem e números dos usuários.

“Temos visto que existem múltiplos segmentos que não estão interessados na transmissão, mas sim em downloads. Levar isso adiante levará mais tempo do que previmos dois anos atrás”, disse Savander.

Comparação de preços pela internet cresceu 200% nos dois últimos anos

O Globo Online

RIO – Apesar do aumento da renda nos últimos anos, o brasileiro não abre mão da tradicional pesquisa de preços. O hábito, porém, vem ganhando ares mais tecnológicos, com a explosão da venda de computadores e o avanço da banda larga no país, e está se diversificando mais. De acordo com os principais sites de comparação de preços no Brasil, o número de acessos únicos por dia subiu quase 200% nos dois últimos anos. Para 2008, as consultas começaram em alta: nos primeiros meses, já foi verificada alta de 140% em relação ao mesmo período do ano passado.

A principal companhia do setor, o BuscaPé, que controla também o Bondfaro, calcula que metade dos internautas brasileiros já pesquisa produtos e serviços nos sites. Ou seja, são mais de 35 milhões de pessoas consultando preços por mês. Por dia, há cerca de 1,17 milhão de acessos únicos.

Google ganha com a oferta da Microsoft pelo Yahoo

AFP

O cerco indesejado da Microsoft ao Yahoo está virando uma novela dramática que, segundo analistas, dá grande vantagem ao rei de buscas na internet – o Google. Enquanto a gigante do software dos EUA diz que o domínio do Google é o motivo pelo qual está ávida para comprar o Yahoo, as tentativas da empresa da Califórnia de afugentar a Microsoft deixam o Google livre para se concentrar em fortalecer sua supremacia.

“Nossa grande vantagem agora é, que à medida que a situação vai ficando mais confusa, isso parece solidificar o prestígio do Google na indústria”, disse Derek Brown, analista da Cantor Fitzgerald.

Esta semana, foram anunciadas várias manobras da Yahoo para repelir a Microsoft. Na quinta-feira, surgiu a informação de que a Microsoft explora uma aliança com a News Corporation, de Rupert Murdoch. As condições da possível transação incluem uma contribuição em dinheiro da News Corp. para ajudar a comprar a Yahoo e depois incorporar o site de relacionamento MySpace. A aliança seria uma mudança de lado da News Corp., que esteve entre os possíveis salvadores que a Yahoo procurou em busca de socorro, depois que a Microsoft surgiu com uma oferta de US$ 44,6 bilhões em fevereiro.

Neste ínterim, a Yahoo anunciou que iniciará um teste com a AdSense da Google para o serviço de busca, o que, no fundo, significa que a Yahoo está verificando o quão melhor o Google é em gerar dinheiro decorrente de publicidade online.

Os analistas concordam que uma aliança entre Google e Yahoo seria reprimida pelos órgãos de regulamentação dos EUA, já que as duas controlariam cerca de 90% do mercado de anúncios online. “A empresa que quer vir em socorro é o Google, mas eles sabem que os responsáveis pela regulamentação explodirão se fizerem isso”, diz o analista da Gartner, Van Baker.

Também circula a notícia de que a Yahoo está se aproximando de um acordo com a America Online para juntar as duas operações de internet, que passam por dificuldades, e assim bloquear a tentativa de aquisição da Microsoft. A Time Warner, dona da AOL, pagaria por uma parcela de 20% da empresa combinada e a Yahoo usaria o dinheiro recomprar ações de seus próprios acionistas, que a Microsoft está ameaçando cortejar.

Se o Yahoo fizer uma aliança com a AOL e depois for comprado pela Microsoft, os recursos conjuntos abarcariam uma formidável área de sites quentes na Web. “A Microsoft e a Yahoo podem não ser uma ameaça para o Google, mas se Murdoch entrar no jogo, então será uma ameaça digna de crédito”, disse Enderle.

Na segunda-feira, a Yahoo rejeitou o prazo de três semanas determinado pela Microsoft para aceitar a aquisição. Disse, porém, que está aberta a uma proposta mais “adocicada” da gigante do software ou de outra proponente.

“Creio que é inevitável”, disse Baker, sobre a aquisição pela Microsoft. “Minha preocupação é que a Microsoft estrague tudo, e acabemos com o Google controlando 90% de setor de anúncios de qualquer forma e que a cultura do Yahoo desapareça”.