Pesquisadores da IBM conseguem armazenar um bit em um átomo

Pesquisadores do laboratório Almaden da IBM em San José, Califórnia, conseguiram escrever e ler um bit de dado sobre um único átomo usando magnetismo, um feito que a companhia diz ser inédito no mundo.

 A pesquisa poderia levar a um armazenamento centenas de vezes mais denso que qualquer coisa disponível até então. Para colocar em perspectiva, com isso seria possível armazenar toda a biblioteca iTunes da Apple de 35 milhões de músicas em um dispositivo do tamanho de um cartão de crédito, diz a IBM.

Continue lendo “Pesquisadores da IBM conseguem armazenar um bit em um átomo”

Mercado brasileiro não comporta um novo player do porte da AT&T

O desembarque da norte-americana AT&T no mercado brasileiro, ela comprou a DirectTV, dona da Sky, cria um clima de expectativa entre os players do setor. Como os planos da companhia não foram ainda revelados – a Sky não participa da ABTA 2015, evento do setor que acontece em São Paulo – há muita indefinição se a AT&T vai atuar em todos os segmentos, entre eles, o de telefonia e banda larga, com outros serviços além do LTE fixo da Sky.

Mas para o presidente da América Móvil, José Félix, o mercado brasileiro não comporta um concorrente como a AT&T. “Se eles chegarem com força, será um grande problema. Hoje temos três e meio (referindo-se à TIM, com os acordos com as OTTs) e já não há muito espaço para mais gente jogar esse jogo”, disparou em painel sobre o futuro do mercado da TV paga.

Os presidentes da Oi, Bayard Gontijo, e da Vivo/GVT, Amos Genish, foram mais polidos. Preferiram dizer que desconhecem os planos da AT&T para o Brasil, e preferiram falar dos próprios projetos. A Oi manterá a mira no serviço DTH, uma vez que está presente em 4880 municípios. A Vivo/GVT está reestruturando seu portfólio, mas terá uma grande aposta nos combos – e em pacotes mais fléxiveis para fidelizar os clientes.

Uma certeza dos executivos: a classe C, que tem aproximadamente 27 milhões de pessoas, está vivendo um momento complicado com a fragilidade da economia, e foi a grande responsável pelo impulso do mercado no últimos anos. Mas Gontijo, da Oi, não planeja mudar a estratégia. “Continuaremos olhando esse público. Eles fizeram a telefonia móvel ser o que é. É claro que eles sentem a crise, mas ela não vai durar para sempre. Temos que ter criatividade”, pontuou. Vivo e América Móvil, em especial a NET, têm a base mais ligada às classes A e B, e registraram, segundo seus executivos, crescimento, mesmo com o momento pior.

convergenciadigital.uol.com.br

Carregar a bateria do iPhone com um roteador Wi-Fi ser possível

Como sobre sua bateria do iPhone cobrado sem fios através do roteador Wi-Fi em sua casa?Bem, o mesmo não é tão longe da realidade. Pesquisadores da Universidade de Washington descobriram uma maneira de usar o próprio roteador Wi-Fi sem fio para carregar a bateria por uma ampla variedade de dispositivos, incluindo o iPhone da Apple.

IPhone sem fio que carrega no meio do roteador Wi-Fi

Como eu disse no início, iPhone carregamento sem fio poderia ser feito através do roteador Wi-Fi, tudo isso sem perder a conexão com a Internet sem fios . Mas o melhor de tudo é que esta nova tecnologia seria compatível com todos os router Wi-Fi no mercado, mesmo com o roteador que você tem em sua casa.

bateria-iphone

Compatível carga tecnologia sem fio em roteadores que já existem, seria feito por meio de uma simples atualização de firmware, outra coisa é que as empresas de telefonia permitir isso mesmo.Em teoria esta nova tecnologia permitiria que o iPhone ou outros smartphones ou tablets, como o Android, sem fios cobrar enquanto eles estiverem conectados a um roteador. Mas cantar nenhuma vitória tão rápido, porque há uma série de impedimentos ou barreas não permitem existente dispositivos móveis são carregados com tecnologia .

Impedimentos para carregamento sem fio com roteador Wi-Fi

Há uma série de barreiras que não permitem que um dispositivo móvel sem fio cobram a partir de um roteador Wi-Fi. De acordo com a potência máxima de 1W FCC é imposta aos roteadores Wi-Fi, o que significa que os roteadores atuais não seria capaz carregar o iPhone ou Android , sob essas regras.

Em segundo lugar o dispositivo móvel que você deseja carregar, sem fios exigem sensores especiais , o que seria capaz de colher a frequência de rádio emitidos pelo roteador e transformá-lo em corrente contínua que permita a carga da bateria. Embora este poderia ser resolvido com algum tipo de cobertura para adicionar essa funcionalidade para o iPhone ou outro dispositivo, como um coldre com carregamento sem fio para iPhone 6 nós mostramos-lhe na ocasião.

router-cisco

Esta tecnologia tem sido apelidado PoWiFi e já foi testada com alguns dispositivos , como sensores de temperatura, uma câmera e baterias recarregáveis, sendo um sucesso em todos os dispositivos. Além disso, também foi testado em seis casas de Seattle, onde os usuários que têm vindo a utilizar esta tecnologia ainda não encontrou quaisquer problemas ou mau desempenho da Internet no processo.

Ainda não está claro quando PoWiFi estar disponível no mercado e se começar a usar primeiras casas ou empresas inteligentes, mas o fato é que esta tecnologia, temos conhecido graças a BGR parece bastante interessante como não perder o controle. Nós dizemos adeus a muitos cabos em casa e seria muito confortável para carregar o iPhone ou outro dispositivo compatível, basta estar perto de casa Wi-Fi.

Fonte: http://www.ipadizate.es/2015/06/14/cargar-bateria-iphone-router-wi-fi/

Conheça o WebM, o sucessor do GIF

Se você gosta de GIFs animados talvez se surpreenda com o WebM. O formato, que tem apenas quatro anos, traz inovações pensadas para a Internet atual e tecnologias futuras. Ao contrário do GIF, que possui mais de 20 anos e um formato pensado para o início da Internet onde as conexões eram lentas e os computadores trabalhavam com poucas cores. Em um futuro breve, o velho GIF pode sair de cena.

O GIF, que pronuncia-se Jiff, nasceu em 1987 e sua sigla significa (Graphics Interchange Format). Foi desenvolvido pela Compuserve com o intuito de ser um formato colorido de fácil leitura pelos navegadores da época. O formato também conta com a opção Interlacing, que faz com que a imagem seja lida linha por linha fazendo com que ela seja carregada aos poucos, o que fazia muito sentido em uma época em que as conexões mais rápidas atingiam apenas 56 kpbs.

Além disso, o GIF conta com uma paleta de 256 cores não sendo indicado para grandes formatos de fotografia mas sim pequenos formatos como ícones ou pequenas animações. As animações, ou Gifs animados, são um conjunto de GIFs encapsulados dentro de outro GIF e permitem reproduzir qualquer tipo de animação ou vídeo neste formato sem som e dentro da paleta de 256 cores que o formato suporta.

Com base nestes dados, vemos que o formato GIF Animado necessita que o arquivo seja totalmente carregado para que a animação aconteça. Isso pode ser demorado, dependendo do tamanho do vídeo convertido, sua resolução e peso. Com isso, consumimos muito mais banda e recursos do navegador para sua leitura do formato. Experimente entrar em uma página com dezenas de gifs e veja como o navegador fica lento.

Pensando em toda essa banda e recursos consumidos e na defasagem deste tipo de formato o Google apresentou em 2010 o formato WebM. Um formato de vídeo compactado que pode ser usado com ou sem som e utiliza codecs VP8 e Vorbis dentro de uma estrutura multimídia Matroska.
A estrutura do WebM foi pensada para a Internet que temos hoje e com base em futuras tecnologias. Sendo assim, o arquivo WebM conversa nativamente com o HTML5 não exigindo um download completo do arquivo, uma paleta de cores incrivelmente superior e compatibilidade total com dispositivos móveis e de baixo consumo de energia.

O Codec VP8 desenvolvido pelo Google já possui um substituto chamado VP9 que suporta vídeos em 4K entre outros adventos que fazem com que o formato WebM dê um banho quando se fala em exibição de vídeo ou compressão de imagem, sem perda de qualidade. Seus arquivos possuem um tamanho relativamente pequeno e sua execução é feita via streaming de dados fazendo com que o tamanho e qualidade dos arquivos seja seu grande diferencial.

A ironia fica por conta de que o próprio Google anunciou na última semana um botão para criação de GIFs a partir de vídeos do YouTube, vídeos aliás que já utilizam a tecnologia WebM no caso dos players em HTML5.

Agora resta saber se ambos os formatos andarão lado a lado na Internet ou aposentaremos o velho GIF dando prioridade ao WebM.

Por TechTudo

Mini Impressora que cabe na bolsa

ZUTA é uma impressora ultra compacta que pode ser levada na bolsa para qualquer lugar. Basta colocá-la sobe uma folha de papel em uma superfície plana. O controle é feito por um aplicativo para Android ou iOS. A bateria tem autonomia de até 1 hora, e leva outras 2 para carregar.

Ela pertence a empresa israelense Zuta Labs que com a invenção desta conseguiu arrecadar mais de 511 mil dólares, de uma meta de US$ 400.000.

A Zuta imprime apenas em preto e branco e custa US$ 199, com mais dois cartuchos por US$ 29,90.

Veja o vídeo demostrativo.

Emissoras de TV devem trocar os Helicópteros por Drones nas coberturas

Uma tendência mundial esta chegando ao Brasil e o Comandante Hamilton que se cuide, pois para redução de custos e por uma melhor agilidade na transmissão, as emissoras vão dispensar os helicópteros para telejornais e dramaturgia.

Emissoras como a Rede Record e Rede TV compraram Drones e estão fazendo testes no uso. Já a Band e o SBT estão locando. Ja a Rede Globo esta em estudo a implementação.

A grande vantagem do uso do Drone (veículo aéreo não tripulado controlado por controle remoto) é a agilidade na captura de imagens aéreas a um custo reduzido. Para entrar oficialmente em operação só estão aguardando a regulamentação da ANAC para seu uso.

Samsung é a marca mais lembrada na hora de comprar uma TV para casa

Pela primeira vez na pesquisa Folha Top of Mind a Samsung é a mais lembrada na categoria aparelho de TV. De 2009 para cá, a empresa saltou de 6% para 19%. A marca empatou tecnicamente com outra sul-coreana, a LG, repetindo o resultado do ano passado, com 17%.

Em tendência de queda desde 2009, pela primeira vez a Philips não está entre as campeãs e obteve 13%.

Com o mesmo índice vem a Semp Toshiba, também em curva descendente. Na sequência, estão Sony (8%), CCE (7%) e Philco/Hitachi (7%).

A principal aposta do ano da Samsung é nas smart TVs, que aceitam comandos de voz ou de movimentos, dispensando o controle remoto.

Historia de vendas de TV

De olho na Copa do Mundo, a empresa criou uma função para jogos. Com o controle remoto, o usuário ajusta a imagem e o som para assistir à partida. É possível também realizar gravações e replays de lances.

Para se manter à frente, a também campeã LG diz que procura antecipar tendências e trazer inovações. “A evolução do mercado de TV nos últimos cinco anos foi o que não teve nos últimos 50 anos”, diz Fernanda Summa, gerente de marketing de home entertainment da LG Electronics do Brasil.

A novidade é a conexão com a internet. O televisor de hoje permite a instalação de aplicativos, como Skype, para teleconferências, Netflix, para filmes sob demanda, e outros.

A gerente da LG diz que as diversas opções e a tecnologia fizeram com que o tempo de compra se tornasse mais longo. Por isso, é importante a presença no meio digital, forma como o consumidor inicia a pesquisa para adquirir um novo aparelho.

Por outro lado, é preciso ter apoio no ponto de venda físico, porque o cliente gosta de ver o produto antes de adquiri-lo.

Por Folha de São Paulo