Saiba mais sobre o mundo 64-bit; é o futuro

Ultimamente, o "64-Bit" está em alta. Anda mais falado hoje em dia do que na época do Nintendo 64. Se você nunca ouviu falar nisso, preste atenção. Um dos avanços mais importantes em termos de poder computacional está acontecendo debaixo do seu nariz – mas muita gente não tem a mínima idéia – graças aos velados esforços da Apple e da Microsoft.

Apesar de sistemas operacionais totalmente 64-bit ainda não serem realidade, você pode provar um pouco da sua capacidade com as versões 64-bit do Windows e do OS X. Aqui estão alguns exemplos das maravilhas que mostram como o 64-bit faz um mundo melhor.

Em uma palavra, memória. Não vamos falar nerdês aqui e entrar em superdetalhes (para isso, é só dar um pulo no Wikipedia, pelo atalho http://tinyurl.com/559ag6). Para manter tudo bem simples, essa parada de bit (16-bit, 32-bit, 64-bit) diz respeito a quantos dados o computador consegue ler, ou falar, ao mesmo tempo. É isso que determina o quanto de memória ele pode gerenciar.

O processador com 32-bit de endereçamento de memória pode basicamente segurar as pontas de 4GB de RAM. Por outro lado, o sistema de 64-bit tem capacidade para lidar com 16 exabytes de RAM. Isso é o absurdo de 16.8 terabytes. De RAM. É. Você não vai ter essa quantidade de memória no seu computador, pelo menos por um bom tempo; ou seja, nos próximos anos, isso significa que não há mais limite para expansão de memória.

Enquanto hardwares e softwares de 32-bits – o padrão na terra dos PCs – te limitam a 4GB de RAM (Extensão Física de Endereçamento – saiba mais pelo atalho http://tinyurl.com/5stue9 – pode até deixar você ter mais, mas os softwares vão apenas usar 4GB), com hardware e software de 64-bit você pode usar quantidades quase infinitas de RAM, o que vai permitir um mundo de novas possibilidades, já que espaço de memória para trabalhar não vai faltar.

O caminho para o mundo 64-bit se une à corrida dos processadores multi-core, usando placas de vídeo para processamento e o crescimento do processamento paralelo no mundo dos computadores para mortais como nós. Em pouco tempo, as aplicações conseguirão ter um crescimento exponencial em capacidade sobre o que elas podem usar hoje – uma cacetada de processadores trabalhando junto com um sem-número de memória à sua disposição. Com 64-bit, os computadores poderão processar uma pá de números muito mais rápido, o que é excelente para essas coisas científicas e tal. Prepare-se para coisas maneiras que virão por aí.

Você deve estar se perguntando: "Por que não AGORA? Eu já escutei sobre esse tal 64-bit faz tempo!!! OMG!" Bem, o hardware está por aí já há algum tempo – supercomputadores 64-bit são realidade há algumas décadas e a AMD trouxe para nós mortais há alguns anos o Athlon 64, por exemplo. Os Macs já eram 64-bit na época dos PowerPC G5. E se você comprar hoje um Core 2 Duo da Intel, também é 64-bit. Acontece que os sistemas operacionais dos usuários comuns (eu, você, o mala do seu vizinho) ultimamente estão lentos demais para adotar o 64-bit e não vão cair de cabeça nessa realidade nova, pelo menos por outra rodada de versões, como o guru do Windows Ed Bott nos contou (em inglês, no atalho http://tinyurl.com/2wal6a).

O Windows Vista foi lançado em duas versões separadas, uma de 32-bit e outra de 64-bit, sendo que a versão 64-bit do Vista foi o primeiro Windows para o consumidor final 64-bit. A Apple não está atrás e caminha para uma arquitetura 64-bit a cada nova versão. Bolt nos contou que enquanto o Windows 7 vai ter versões 32-bit e 64-bit, seu sucessor, o Windows 8 (ou qualquer nome que ele receba) provavelmente será o primeiro sistema operacional da Microsoft a ser exclusivamente 64-bit. Já foi anunciado pela Apple que no ano que vem a versão nova do Mac OS X (A Snow Leopard) será 64-bit até o coração, quer dizer, kernel.

A razão pela qual o 64-bit é o futuro, e não o presente, se deve ao fato de ser uma arquitetura totalmente diferente do 32-bit já estabelecido – kernel diferente significa drivers diferentes, problemas de compatibilidade com as aplicações e por aí vai. Uma migração total e rápida significa muita dor de cabeça, principalmente para o mundo corporativo.

Como Bott nos contou, ele é tão relevante para a Microsoft quanto o usuário final. Por isso, a Apple está migrando para o OS X 64-bit ao longo do tempo, e por isso a Microsoft vai continuar a lançar versão 32-bit do Windows 7. Provavelmente ainda, segundo Bott, um Windows 8 64-bit permitiria um setup virtual para rodar aplicações 32-bit. "Por sorte", ele nos conta, "um sistema x64 com um caminhão de memória vai rir de uma virtualização."

Outra carona no caminho para a glória do 64-bit que Bott levantou foi a questão de "Quando será que o pessoal fora do grupo de softwares para trabalhos específicos" como Adobe (Photoshop CS4 será uma aplicação 64-bit nativa para Windows, mas não para OS X) vai começar a programar aplicações 64-bit? Com a onda de processamento paralelo com vários-core para chegar a quantidade ridícula de memória para se aproveitar, programadores terão bastante espaço para brincar (e lidar).

Aplicações terão que ser re-escritas para aproveitar todo o potencial da multiplicidade de núcleos (core) e a enorme quantidade de memória à disposição, e essa transição levará um tempo. Outro pequeno detalhe que 64-bit fica devendo – e realmente é pequeno: o tempo de retorno de do estado de hibernação será maior, já que toda essa memória significa mais gravação no arquivo de hibernação, logo, mais tempo para ler quando for hora de acordar.

Enquanto toda essa maravilha soa boa demais para ser verdade ou até mesmo realidade em um futuro próximo, na verdade não é. O sistema da Apple Leopard já faz um pouco do vudu 64-bit, como por exemplo ter uma interface gráfica 64-bit e a versão 64-bit do Vista está superando sua versão 32-bit nos sistemas dos fabricantes de computadores, já que agora o problema dos drivers não é algo tão absurdo.

Enquanto 4 GB de RAM for uma belezura em uma máquina com Vista, 6 GB e 12 GB irão se tornar padrões para máquinas de alta performance com o lançamento do Intel Core i7, desde que se use o canal tripo de memória – três deliciosos pentes de memória RAM – então está mais do que na hora do 64-bit chegar.

Gizmodo

Aprenda a se livrar de erros ‘chatos’ do Windows

Pego do G1, Blogs e Colunas, Tira-Duvidas de Fernando Panissi

Olá, leitores.

Hoje é sexta-feira, e é dia de pacotão de dúvidas. Quase todas hoje lidam com mensagens ‘chatas’ do Windows. Mas as soluções estão aqui! Vamos a elas:

>>>> Disco externo incômodo
Tenho um HD externo. Quando retiro os arquivos desse HD, não consigo removê-lo com segurança. O Windows diz que algum programa está acessando o HD. Como faço pra resolver isso? Obrigado,
Silvio

Silvio, muitas vezes, mesmo fechando todas as janelas do Windows Explorer, ainda enfrentamos este problema para remover com segurança as unidades externas conectadas pela porta USB. Isso se deve ao fato de algum programa ainda estar acessando o disco e o sistema operacional, por segurança, impossibilita a remoção para evitar que os dados fiquem corrompidos.

Um dos programas que mais geram este tipo de problema são os de indexação, que ficam observando os arquivos em disco para deixar as buscas nas pastas mais rápidas. Mas há uma vasta gama de outras situações que podem gerar este problema, por isso, vou apresentar uma solução mais genérica e que cabe perfeitamente no seu caso.

img01_unlocker_080808.jpg

Você pode fazer isso por meio de um programa chamado Unlocker . Ele detecta quais aplicativos estão acessando uma determinada unidade de disco, dando a você a opção de “destrancar” de forma segura a unidade, podendo assim removê-la fisicamente do computador.

A instalação do programa é bem simples. Não leva nem um minuto, e na seqüência o programa estará disponível para uso.

Basta clicar, no Windows Explorer, com o botão direito do mouse sobre a unidade que deseja remover. No menu de contexto será apresentada a opção Unlocker, e clicando nela uma janela como a ilustrada ao lado será aberta. Basta clicar no botão desbloquear todos, e na seqüência executar o procedimento de padrão de remoção de hardware pelo assistente do próprio Windows. Certamente a mensagem de “ocupado” não será mais apresentada.

Evidentemente que este programa vai funcionar até certo limite. Se um programa realmente estiver gravando no disco, o Unlocker não vai liberar o recurso para você remova o dispositivo.

Para mitigar esta questão, convém parar o “vilão” que comentei no começo da resposta, o serviço de indexação do Windows:
·    Clique em iniciar e depois em configurações e em seguida em painel de controle;
·    Clique no ícone de ferramentas administrativas e depois no ícone serviços;
·    Localiza o serviço de indexação e, com duplo clique no item, mude o status para parado (pressionando o botão correspondente) e;
·    Mude o tipo de inicialização para manual;
·    Finalize clicando em Ok.

>>>> Pastas vazias
Tenho uma dúvida a respeito do programa Glary Utilities recomendando por você aqui no blog. No programa existe a opção “Encontrar e remover pastas vazias no Windows”, porém tenho medo que isso possa trazer algum problema ao sistema ou deixá-lo instável, pois existem pastas vazias dentro do Sytem32 como por exemplo LogFiles, 3com-dmi e outras pastas como TEMP e MSXML 4.0. O sistema de repente pode utilizar uma pasta vazia?

No geral achei o programa ótimo, ajudou muito removendo arquivos de registro e arquivos temporários, entre outros. Desde já, muito obrigado.
Juliano Maciel

Juliano, o sistema operacional protege as pastas e arquivos vitais para sua estabilidade, fazendo com que programas como o Glary Utilities não consigam remover o que não deveriam. Assim como o SBR File Compare, que citei neste post, capaz de remover arquivos duplicados, esses programas são muito úteis para mantermos os nossos arquivos organizados.

>>>> Lento…
Olá, Fernando. Queria saber como faço para resolver o problema que a tempos me aflige: quando clico com o botão direito do mouse sobre algum arquivo ou pasta, demora muito para aparecerem as opções. Já fiz uma limpeza geral com o MVRegclean e com o Advanced Windows Care V2 Personal, mas não adiantou nada; também já passei o Norton e ele não encontrou nada, passei também o scandisk e novamente não tive sucesso. Outro fator, que eu não sei se é relevante, é o fato de que sempre que eu ligo meu PC aparece uma mensagem dizendo que o sistema se recuperou de um erro.
Ronaldo

Ronaldo, pode ser que um problema não tenha relação com o outro, então, vamos por partes.

Limpando o menu de contexto do Windows Explorer (famoso botão direito do mouse): muitas vezes, o menu do botão direito fica lento por ter muitos elementos nele. A solução mais simples é eliminar os itens que não usamos mais. Para isto existe um programa muito interessante, chamando FileMenuTools. Ele é super completo, e atende perfeitamente a sua necessidade.

Se você tem dificuldade com inglês, é possível baixar um pacote de idioma que traduz o programa para o português. Basta colocar o conteúdo do arquivo ZIP na pasta: C:Arquivos de programasLopeSoftFileMenu Toolslang . Ao reiniciar o programa, mude o idioma no menu Options: selecione Languages e altere para Português.

img02_filemenu_080808.jpg

Para editar as opções do menu, clique na aba Comandos de outros aplicativos (representado em cinza na ilustração acima). Ali existe uma pasta para cada item do Windows Explorer que possui um menu de contexto. Expandindo cada uma das pastas (clicando no sinal de +), você vai ver os programas executados, basta desmarcá-los. Ao efetuar qualquer alteração, um ícone verde no canto superior esquerdo do programa ficará ativo, ao clicá-lo as alterações serão salvas e seus menus alterados.

Agora, com relação ao problema reportado ao iniciar o computador, o procedimento apresentado a seguir certamente irá solucionar a questão:

Tendo posse do CD de instalação do Windows, execute o comando SFC /SCANNOW (digitando-o no menu executar que pode ser aberto clicando no botão iniciar, seguindo a opção executar). Após as atualizações no sistema, reinicie o computador e verifique se o problema persiste.

>>>> Pragas virtuais

Olá, Fernando. Meu PC começou a dar um erro no explorer.exe e diz que ele precisa ser fechado. Isso acontece toda vez que abro o Windows Explorer. Já tentei o comando SFC /SCANNOW e nada adiantou, você tem alguma outra sugestão?
Brayan Costa da Silva

Brayan, provavelmente seu sistema está com algum tipo de praga virtual, vírus, spyware… A melhor solução neste caso é rodar um programa antivírus, como o AVG e depois um bom programa antispyware. Faça isso em modo de segurança, e nesta ordem que apresentei. Para iniciar o computador em modo de segurança, fique pressionando a tecla F8 logo após a tela da BIOS, e no menu que for apresentado, selecione a opção de modo de segurança. Depois da verificação completa do PC, recomendo rodar novamente o comando SFC /SCANNOW também no modo seguro.

>>>> Perfil falso no Orkut
Olá, estou com problemas no Orkut. Alguém criou um falso perfil com meu nome completo, dados pessoais,e até minhas fotos. Já denunciei varias vezes, e até amigos meus denunciaram abuso, de falsa identidade, porém meu “perfil falso” continua lá há meses. Alguém tem uma solução pra isto?
Lia

Lia, esta acusação é grave e importante de se esclarecer o que fazer, pois quem criou este perfil cometeu um crime de falsidade ideológica. O que recomendo em uma situação como esta é, em primeiro lugar, denunciar no próprio Orkut, depois tirar uma cópia de tela do Orkut, como evidência. Você pode fazer isso teclando ALT+PrintScreen e colando o resultado no Microsoft Paint (clique em iniciar, depois em programas seguindo até o menu acessórios e depois abra o Paint).

Por fim, vá a uma delegacia munida de seus documentos e faça um Boletim de Ocorrência para formalizar a queixa contra o falsário. Por fim, procure um advogado para lhe orientar a como interagir com o Google afim de eliminar este perfil falso.

Terça-feira a coluna estará de volta. E vamos conversar aqui um pouco sobre um assunto polêmico e interessante: O controle e bloqueio que o Governo chinês faz no acesso a internet no país. Vou abordar de uma forma técnica porém simples como isso é possível e quais os meios que as pessoas daquele país encontram para acessarem a grande rede de forma livre e irrestrita.

Até lá.

Microsoft inicia pesquisa para criar sucessor do Windows

Microsoft iniciou um projeto de pesquisa com o objetivo de criar um sistema operacional que poderia substituir o Windows, apurou a revista americana especializada Software Development Times.

Segundo a revista, que afirma ter tido acesso a documentos internos da Microsoft sobre o novo sistema operacional, o projeto recebe o codinome de Midori e apresentaria diferenças radicais com relação aos programas anteriores da empresa.

O programa seria baseado na idéia de sistemas conectados e seria centrado na internet, ou seja, não precisaria ser instalado no hardware e eliminaria a relação de dependência que existe hoje entre o sistema operacional e os computadores pessoais.

Questionada sobre o novo sistema operacional pela BBC News, a Microsoft afirmou que o Midori era “um dos muitos projetos de incubação sendo feitos na empresa”.

“O processo ainda é muito prematuro para que falemos sobre ele”, disse a empresa em comunicado.

Mobilidade

Alguns especialistas acreditam que a empresa estaria desenvolvendo o novo sistema pela incapacidade do Windows em acompanhar o ritmo de mudança da tecnologia e o modo como as pessoas estão usando as novidades tecnológicas.

Entre as deficiências do atual sistema operacional, os especialistas destacam a falta de flexibilidade em um mundo em que as pessoas usam aparelhos cada vez mais variados para acessar conteúdo.

O Windows funcionou bem em uma época na qual as pessoas usavam apenas um computador para realizar todo o trabalho que precisavam. O sistema operacional, nesse caso, atuava concentrando os elementos comuns necessários ao Windows.

“O sistema operacional é carregado ao disco rígido fisicamente localizado dentro do computador. É conectado muito fortemente com o hardware”, afirma Dave Austin, diretor europeu de produtos na empresa de computação Citrix.

Segundo ele, por causa dessa relação de “dependência” com o hardware, o Windows não é o sistema ideal para o atual padrão de uso do computador, no qual os usuários têm mais mobilidade e usam diversas ferramentas para acessar as informações que precisam – sejam fotos, planilhas ou e-mail.

Austin ressalta ainda que atualmente, quando os usuários trabalham ou usam o computador para o laser, acabam usando uma combinação de processos e informações que são armazenados na máquina ou online.

Virtualização

Além de maior mobilidade, o Midori é visto como uma tentativa ambiciosa da Microsoft em acompanhar a tendência de virtualização adotada pela indústria da tecnologia da computação.

A virtualização – processo que permite operar um computador com hardware “virtual”, não presente fisicamente na máquina – foi usada inicialmente em companhias que administravam vários servidores.

Ao colocar todos os servidores virtuais que precisam em um único equipamento, as empresas puderam reduzir o número de máquinas que gerenciavam e melhorar o desempenho dos computadores.

Além de economizar no gerenciamento físico de suas máquinas, as empresas ainda economizam no pagamento das licenças associadas aos sistemas.

As chamadas máquinas virtuais são nada mais do que a cópia, em forma de software, de um computador completo com seu sistema operacional e programas.

As condições de uso impostas atualmente pela Microsoft para o Windows não permite seu uso como máquina virtual. BBC Brasil – Todos os direitos reservados.